Site Autárquico de Vila Real de Santo António

> Home > Agenda
Mapa do Concelho

Áreas Estratégicas

Áreas EstratégicasEurocidade do GuadianaAssociativismo

VII Jornadas de História do Baixo Guadiana

VII Jornadas de História do Baixo Guadiana

20 de maio de 2022

9h30 . Arquivo Histórico M. António R. Mendes

Participação gratuita mas sujeita a inscrição através de: arquivomunicipal@cm-vrsa.pt | 281 510 260

Programa:

9h50 > Abertura

10h00  > Comunicação: A ocupação milenar da Villa Romana do Montinho das Laranjeiras. Da sua descoberta em finais do século XIX à fruição turística do século XXI, por Alexandra Gradim

 

Resumo: A Villa Romana do Montinho das Laranjeiras, em Alcoutim, está situada junto ao rio Guadiana e perto da localidade de onde herdou o topónimo, possui nos seus mais de 3.000 m2 uma história milenar que se desenrola desde o século I a.C. até provavelmente à reconquista cristã. Conhecida desde a cheia secular de 1876, teve a sua primeira intervenção arqueológica, no ano seguinte, pela mão do grande arqueólogo algarvio Estácio da Veiga. A fruição pública da estação arqueológica chegou 128 anos depois e após nove campanhas arqueológicas, que entre finais do séc. XX e inícios do séc. XXI resgataram a memória milenar do local.

 

12h00 - 14h00 > Pausa para almoço

14h30 > Visita guiada à arquitetura vernácula de Castro Marim nos estudos de prospeção e defesa da paisagem urbana do Algarve (1965-1970)

 

Participação gratuita mas sujeita a inscrição prévia: arquivomunicipal@cm-vrsa.pt | 281 510 260

 

10h45 > Pausa

11h00 > Comunicação: A valorização da arquitetura vernácula do Baixo Guadiana nos estudos de prospeção e defesa da paisagem urbana do Algarve (1965-1970), por Vitor Ribeiro

 

Resumo: a segunda metade dos anos 1960, a Direcção-Geral dos Serviços de Urbanização (DGSU) ensaiou, no Algarve, um estudo pioneiro de “prospeção e defesa da paisagem urbana” abrangendo 49 aglomerados, maioritariamente localizados na faixa litoral da região, quatro dos quais situados na área do baixo Guadiana - Azinhal, Cacela, Castro Marim e Vila Real de António. Para além da metodologia e das propostas que encerra, bem como, e sobretudo, da ênfase que coloca na valorização do património arquitetónico urbano de carácter vernáculo, a importância deste estudo revela-se ainda na forma como fixa historicamente, através das descrições e do extenso registo fotográfico, uma imagem da paisagem urbana algarvia cuja transformação, já então em curso acelerado, se acentuaria, inexoravelmente, ao longo das décadas seguintes.

 

/html>